Colonoscopia

-

O que é uma colonoscopia?

Uma colonoscopia é um exame endoscópico efectuado por um Gastrenterologista com um tubo flexível com uma câmara acoplada que permite ver o interior do cólon (intestino grosso) e recto.


É um exame quase sempre efectuado em ambulatório, sendo raras as situações em que é necessário internamento antes ou após o exame.

Quais são as vantagens de fazer uma colonoscopia?

Há múltiplas vantagens em efectuar este exame. Para além de permitir o diagnóstico e tratamento de múltiplas doenças do foro da Gastrenterologia, a sua maior vantagem é permitir a identificação e a remoção de pólipos do cólon e recto.

-

O que são pólipos?

Pólipos colorretais são crescimentos da camada mucosa (superficial) do cólon e recto que podem evoluir para cancro.


O tempo de progressão dos pólipos é muito variável, mas a sua remoção permite na maioria dos casos a prevenção da sua progressão para cancro.


A grande maioria dos pólipos são removidos com facilidade, havendo, contudo, pólipos que pela sua dimensão ou localização fazem com a sua extracção deva ser efetuada em meio hospitalar.

-

Há alternativas à colonoscopia?

Apesar da colonoscopia apresentar vários benefícios relativamente a outros métodos por vezes (por preferência do doente ou impossibilidade na realização da colonoscopia) podemos utilizar outro tipo de exames como os seguintes:

  1. Colonoscopia “virtual” / colonografia por TC
    a. Consiste na realização de uma Tomografia computorizada (TC) que permite a observação de pólipos ou outras lesões no intestino.
    b. Apresenta como principais vantagens o facto de ser não invasivo e permite a visualização de outros órgãos que não o tubo digestivo.
    c. Apresenta como principais desvantagens o facto de não permitir a realização de biopsias/polipectomias, de utilizar radiação, de ser necessária igualmente uma preparação intestinal e o ser menos sensível (especialmente para pólipos mais pequenos que a colonoscopia.
  2. Cápsula do cólon
    a. É um exame relativamente recente que permite a visualização do cólon após ingestão de uma cápsula com uma câmara que vai enviando as imagens para um registador externo.
    b. Permite uma visualização do cólon de uma maneira não invasiva.
    c. Contudo, não permite igualmente a realização de biopsias/polipectomias, necessita de uma preparação intestinal excelente e é um método bastante dispendioso.

-

Devemos fazer o exame sob sedação (anestesia)?

Regra geral as colonoscopias devem ser efetuadas sob alguma forma de sedação uma vez que são exames potencialmente dolorosos.


O facto de a pessoa estar sedada não aumenta os riscos do exame (nem mesmo a perfuração intestinal), conferindo conforto ao doente e qualidade ao trabalho do Gastrenterologista.


A sedação em Portugal é efetuada por Anestesistas, geralmente com recurso a um fármaco (o propofol) que é extremamente seguro desde que manuseado por médicos especializados.


Contudo, como há um efeito residual de cerca de 12 horas após a administração do fármaco, lembre-se que nesse dia não deve conduzir, operar maquinaria pesada ou tomar decisões importantes/legais!

--

A colonoscopia é um exame muito perigoso?

A colonoscopia é, no seu global, um exame extremamente seguro.


Contudo, como qualquer procedimento médico invasivo, há alguns riscos a considerar:

  1. Reações adversas relacionadas com a preparação intestinal como náuseas, vómitos, dor abdominal, etc.
  2. Perfuração do cólon (mais frequente quando se retiram pólipos de grandes dimensões ou se efetuam técnicas terapêuticas como dilatações), que podem necessitar de correção cirúrgica caso não seja possível resolver a perfuração durante a colonoscopia.
    a. O risco de perfuração em exames de rotina/diagnóstico é extremamente baixo, ocorrendo cerca de 1 caso a cada 8.000 exames.
  3. Hemorragia após a remoção de pólipos (especialmente após pólipos de grandes dimensões).
    a. Geralmente a situação consegue ser controlada durante a colonoscopia, sendo a necessidade de cirurgia muito rara
    b. Pode ocorrer uma hemorragia tardia (até cerca de 1 mês após o procedimento) que, habitualmente, cessa espontaneamente.
    c. Regra geral acontece hemorragia após remoção de pólipos em cerca de 1,2% dos doentes.
  4. Síndrome pós-polipectomia/queimadura transmural
    i. Por vezes, após a remoção de pólipos, pode ocorrer dor abdominal localizada especialmente nos primeiros 5 dias após a colonoscopia com remoção de pólipos.
    ii. Pode provocar febre, alterações nas análises, mas a maioria dos casos não é grave e resolve-se com facilidade com antibióticos.
  5. Reações adversas à sedação endovenosa
    i. Habitualmente cardiovasculares ou respiratórias, mas sem gravidade na enorme maioria dos casos
  6. Risco de mortalidade
    i. Como em qualquer exame médico há um risco associado de mortalidade, apesar de este ser extraordinariamente baixo (menos de 0.1%).

Como em qualquer exame médico, deve discutir com o seu médico os riscos e os benefícios do exame de forma a poder dar o seu consentimento para a realização do exame da forma mais informada possível.

-

Como se faz a preparação para a colonoscopia?

A preparação para a colonoscopia é algo que igualmente preocupa muito os doentes, mas seguindo algumas regras básicas, é possível ter uma preparação cólica satisfatória sem grandes restrições ao dia a dia.
Uma correta preparação cólica é fundamental para a correta avaliação do cólon e para a segurança do exame em si.


Há várias preparações cólicas, todas com algumas particularidades, pelo que se deve sempre guiar pelo esquema que lhe é fornecido no local onde vai fazer a colonoscopia.


De uma forma geral, deve seguir os seguintes conselhos:

  1. Evitar frutas, legumes, vegetais ou alimentos com grainhas/sementes nos 3 dias que antecedem a colonoscopia.
  2. Pode comer carne, peixe, arroz, batatas, esparguete ou gelatinas (desde que não sejam vermelhas)
  3. Se preferir beber líquidos que não água deve preferir tisanas, sumos sem polpa ou frutos vermelhos.
  4. Se for obstipado(a) poderá ser necessária a toma de laxantes antes de iniciar a preparação. Informe-se no local onde vai fazer a sua colonoscopia.
  5. Há múltiplas preparações intestinais no mercado atualmente e pergunte qual a mais apropriada para o seu caso
    a. Apesar de já haver preparações de baixo volume no mercado, podem não ser as mais adequadas à sua situação.
  6. Regra geral a toma da preparação intestinal inicia-se no dia anterior ou na manhã do dia do exame (caso faça o exame da parte da tarde). A partir do momento que inicia a toma do preparado não deve ingerir mais alimentos sólidos.
  7. Não se esqueça que necessita um mínimo de jejum total (sólidos, líquidos e mesmo tabaco!) pelo menos duas horas antes do exame, sendo provável que nalguns locais lhe peçam para efetuar um jejum mais prolongado (de cerca de 4 horas).
  8. Não se esqueça de levar exames recentes como análises e eletrocardiograma ou outras análises que sejam relevantes para as suas patologias. Em alguns locais e de acordo com as suas patologias/idade, pode-lhe ser pedido para efetuar alguns exames para acrescentar à segurança do exame e da sedação.
  9. Não se esqueça de levar toda a medicação que faz! É muito importante que o seu Gastrenterologista saiba a medicação que está a fazer pois isso pode ser fundamental para algumas técnicas terapêuticas como a polipectomia.
  10. Por vezes é necessária a interrupção de alguns fármacos tais como:
    a. Ferro oral (regra geral 5 dias antes do exame).
    b. Anticoagulantes como a varfarina (Varfine®) e o acenocumarol (Sintrom®), sendo habitualmente necessária a sua suspensão 3-5 dias antes do exame, com substituição por injeções de enoxaparina (Lovenox®).
    c. Anticoagulantes orais diretos como o apixabano (Eliquis®), o rivaroxabano (Xarelto®), o dabigatrano (Pradaxa®) e o edoxabano (Lixiana®), sendo habitualmente necessária a sua suspensão 2-3 dias antes da colonoscopia.
    d. Antiagregantes como o clopidogrel (Plavix®) e o ticagrelor (Brilique®) sendo habitualmente necessária a sua suspensão 5-7 dias antes do exame.

    e. Não necessita (nem deve) parar os anti-inflamatórios que esteja a fazer nem a Aspirina.
    f. NUNCA deve suspender estes fármacos sem antes se informar com o seu Médico(a) de Família e/ou Cardiologista ou de pedir informações no local onde vai realizar a colonoscopia.

Nos seguintes links podem consultar alguns exemplos de preparações cólicas

Informe-se sempre qual a preparação cólica mais adequada para o seu caso clínico.

[/pl_text]
[/pl_col]
[/pl_row]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *